09 janeiro, 2017

Retrospectiva dos escândalos no governo

09 janeiro, 2017
Governador Flávio DinoEm dois anos comandando o governo do Estado, Flávio Dino e membros do governo já protagonizaram inúmeros escândalos. Alguns, inclusive, ganharam repercussão nacional.

O mais recente estourou logo nos primeiros dias de 2017 e revelou o aluguel de um imóvel por R$ 12 mil mensal que pertence a um membro do PCdoB para funcionamento da unidade da Fundação da Criança e do Adolescente (Funac) no bairro da Aurora.

O caso foi alvo de reportagem do Bom Dia Brasil desta sexta-feira (06) e continua rendendo muita confusão dentro e fora do Palácio dos Leões.

Flávio, que prometeu mudar o Maranhão e se dizia livre das manobras “criminosas” cometidas pela gestão anterior, paga o preço e tem sido alvo de diversas denúncias bem semelhantes as do governo Roseana.

Logo em 2015, nos primeiros meses de mandato, por exemplo, foi revelada a criação de um escritório de advocacia montado para faturar alto no governo. A Sá Vale Advogados foi criada no dia 14 de outubro, ou seja, dias após a vitória do comunista e contratada por dispensa de licitação.(relembre aqui)

A contratação da cunhada do irmão de Flávio Dino, o procurador da República, Nicolao Dino de Castro e Costa Neto também deu o que falar ainda em 2015. Maria Gerviz Frota de Albuquerque Lustosa foi nomeada como Assessora Especial na Secretaria de Gestão e Previdência (Segep). Sem contar também com a contratação da empresa Copiar Center, que pertence Glenda Frota Albuquerque Cordeiro, irmã de Sandra Frota Albuquerque Dino de Castro e Costa, mulher de Nicolao. (Reveja aqui e aqui)

Contratos suspeitos e milionários também viraram alvos de escândalos. Um deles foi o caso da BR Construções com o Departamento Estadual de Trânsito do Maranhão (Detran-MA). A empresa, que seria ligada ao principal doador de campanha de Dino, Dedé Macedo, ganhou os contratos utilizando documentação irregular.

No que tange contratos milionários, foi notícia nacional a gastança milionária para custear a imagem do governo na imprensa do país. A empresa Informe Comunicação, que pertence a mulher do jornalista de O Globo, Ricardo Noblat, segue garfando muito dinheiro dos cofres estaduais.

Além de contratos e contratações de pessoas ligadas ao próprio governo, houve a acusação de recebimento de propina que, por meses, movimentou o Palácio dos Leões.

A assessora especial do governador Flávio Dino, Simone Limeira, teria recebido do líder indígena Uirauchene Alves Soares propina no valor de R$ 8 mil para liberar pagamento do transporte escolar dos índios. A confusão foi grande e terminou com o pedido de demissão da assessora e nenhuma investigação a respeito.

E ainda falta dois anos de governo e, ao que tudo indica, muitos outros escândalos devem acontecer. Como sempre, quem paga a conta, infelizmente, é a população.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário