05 janeiro, 2017

Contrato feito as pressas e sem licitação, garante uma fortuna para o hospital do deputado Humberto Coutinho

05 janeiro, 2017
Embora não esteja muito preocupado com a saúde do caxiense que precisa de atendimento no Hospital Geral do Município, nem para quem busca na UPA um atendimento mais qualificado, e muito menos para os inocentes caxienses que ainda nem nasceram na Maternidade Carmosina Coutinho, o governador Flávio Dino deu um presente de Natal inesquecível para o amigo Humberto Coutinho.

Na verdade trata-se de um presentão de natal que determina o repasse anual de R$ 10.879.367,52 (dez milhões, oitocentos e setenta e nove mil, trezentos e sessenta e sete reais e cinquenta e dois centavos) através da Secretaria de Estado da Saúde para a Casa de Saúde e Maternidade de Caxias. (Veja contrato abaixo).
O contrato, celebrado em 21 de dezembro de 2016, foi feito com inexigibilidade de licitação (processo administrativo nº 248/2016/SES) e tem como objeto a prestação de serviço de terapia renal substitutiva, a lucrativa hemodiálise do presidente da Assembleia Legislativa.

Representando o governo do MA, o secretário estadual de Saúde, Carlos Lula, subscreveu o contrato e a ex-deputada Cleide Coutinho, juntamente com sua filha, Georgia Coutinho, ambas sócias da empresa, representaram a Casa de Saúde.

Feito nos últimos dias de 2016, o contrato visa tão somente driblar a ordem judicial que impedia a transferência do custeio do serviço de terapia renal substitutiva da Casa de Saúde, que era feito pelo Fundo Municipal de Saúde de Caxias, para a tutela do governador Flávio Dino, amigo e aliado incondicional de HC.

Com isso, Flávio Dino e Humberto Coutinho tentam induzir o Ministério da Saúde a não seguir a ordem judicial que impedia a transferência de recursos e garantir que o rentável serviço prestado pela Casa de Saúde continue fazendo a alegria da família Coutinho.

Apesar da manobra, a ordem judicial que impedia a transferência ainda está vigente e os repasses do Ministério da Saúde para o serviço de hemodiálise de Caxias ainda estão na responsabilidade da Prefeitura.

Mesmo aqueles eleitores mais apaixonados do governador Flávio Dino ficam intrigados com o tratamento dispensado para o novo prefeito de Caxias, onde os recursos para custeio de toda a rede de saúde do município foram suspensos e o esforço para garantir quase R$ 11 milhões de reais para o hospital do seu amigo foi feito as pressas e sem licitação.

Não custa lembrar o discurso dos correligionários de Humberto Coutinho contra a ex-governadora Roseana Sarney, de que era preciso votar em Flávio Dino para que a “perseguição” contra Caxias acabasse.
Será que os coutinhianos ainda sabem o que é “perseguição” contra Caxias?!

Fonte: blog do Sabá



Reações:

0 comentários:

Postar um comentário