13 janeiro, 2017

1ª BRIGA – Professores planejam ocupar Prefeitura de Codó na próxima quarta-feira

13 janeiro, 2017
O governo do prefeito Francisco Nagib vai encarar na próxima semana sua primeira pedreira na área de educação. Numa assembleia realizada na noite de quarta-feira, 11, os servidores presentes, em sua maioria professores, decidiram pressionar o governo à dividir uma verba do FUNDEB que caiu dia 29 de dezembro de 2016, da ordem de R$ 4.800.000,00, e também acabar com a história de colocar todo mundo para trabalhar 8 horas por dia.

Um áudio divulgado pela rádio Eldorado ontem, 12, no programa Coisas do Povo, mostrou como os professores se articularam para irem às ruas na próxima quarta-feira, 18 de janeiro, e, além disso, OCUPAREM A PREFEITURA DE CODÓ por tempo indeterminado.

O áudio foi gravado pelo repórter Francisco Lemos e não tem identificação de quem usou o microfone. Só conseguimos identificar, pela voz, o presidente Antonio Celso Moreira, que faz o papel de mediador das discussões na gravação.

O primeiro gravado, um professor, defende que a hora de pressionar o governo é agora e defende que o carro-chefe da passeata com ocupação deve ser o abono que Zito não pagou, muito menos Nagib até agora.

“O momento pra demonstrar força é agora, senão ele se agiganta. Então se vai se fazer passeada, não vamos fazer passeata só por abono não, vamos reivindicar a permanência da jornada de trabalho de 30 horas, claro que o abono é o carro-chefe, aí a gente reivindica tudo. Leva essa pauta de reivindicação em mão e entrega pra ele, vamos negociar todos os itens da pauta, senão fica como todos os anos anteriores, sindicato manda ofício, prefeito nunca deu resposta, nunca recebeu o sindicato, se vai fazer essa passeata, se vai OCUPAR A PREFEITURA, então é pra tudo, pauta, jornada e abono”

Na sequência, professor Celso defende que não deve haver apenas a ocupação da prefeitura, mas também um ato público (passeata) para que as pessoas tenham conhecimento das reivindicações.

“Ah! eu não vou pra rua, então o povo não sabe porque você tá fazendo a manifestação, aí fica os abestados nos blogs, muita gente dizendo – ah! eles não querem é trabalhar 8 horas, mas ele não conhece, se a gente não falar não conhece. É a hora da gente botar o bloco na rua mesmo e sair fazendo essas denúncias todinhas”, diz o presidente

SUGESTÃO DE DIÁLOGO ANTES DA OCUPAÇÃO

Seguindo, uma professora defende que antes de OCUPAR a prefeitura ou ir para as ruas seria de bom alvitre tentar um diálogo com o novo governo.

Professora diz – “Antes desse movimento, que é importantíssimo, mas poderia ter a tentativa de uma conversa primeiro com, pra não dizer que a gente se precipitou, que a gente foi de qualquer forma, nós temos até o final de janeiro, então essa semana eu acho ainda muito precipitado, primeiro o diálogo, né, se não for aí a gente vai ter argumento de tá na rua fazendo isso, não é verdade?”

ORIENTAÇÃO DO CARRO-CHEFE ‘ABONO’

Mas na sequência da gravação outra voz feminina rebate esta ideia de diálogo alegando que o encaminhamento de um ofício suprirá esta lacuna de conversa prévia com a Educação de Nagib.

Ela também orienta como todos deverão agir para não deixar transparecer que a intenção é brigar apenas por abono.

fala da outra professora – “Companheiro eu acho o seguinte, a gente tem que ser rápidos e inteligentes por quê?, porque nós estamos aqui com certeza também querendo saber desse retroativo que tá na prefeitura e quando a gente for às ruas ninguém vai dizer que o nosso objetivo, um dos maiores que a gente quer, é esse, claro, a gente vai começar reivindicar a questão da jornada de trabalho dos colegas, fazer todo aquele aparato, depois a gente chega nesse ponto final, né, principalmente ali na rua Afonso Pena, que ali que é o centro, ali que tá a população, mercado central, sim”, diz justificando noutro trecho

“Eles têm a mídia, eles têm tudo aí, vamos dizer, colocar uma imagem diferente, né, na nossa passeata, então nós temos que ter cuidado. Agora essa questão de esperar, uma resposta, não, nós vamos mandar um ofício, vai ser encaminhado e pronto, eu tava até colocando hoje, será que eles estão precisando de um professor de matemática pra fazer a divisão desse recurso?”, conclui

OCUPAÇÃO E PRIORIDADE

De acordo com o presidente do SINDSSERM, Antonio Celso para quem ligamos após ouvirmos o áudio divulgado pela rádio, a prioridade será o ato público porque, realmente, o município recebeu mais de R$ 4.800.000,00 no final de dezembro e os professores querem esse repasse em forma de abono. Sobre a ocupação disse que poderá, sim, ocorrer, desde que haja um número significante de manifestantes na próxima quarta-feira.
Reações:

0 comentários:

Postar um comentário